19 de maio de 2008

Um ano.

“ Acabou. Foste hoje o mais longe que poderias ir. Já brincaste tempo suficiente à vida real.
Agora remete-te ao que (não) és. Vive essa tua não vida da qual sempre fugiste. Resume-te finalmente à tua não existência”


Princípio do fim?

2 comentários:

*alma de poderosa* disse...

ai pessismo!
nao seja assim ..
upa upa!

Cély disse...

Ha pessoas k merecem mm um paragrafo destes!!

K se resumam a não existir em nos!!!