26 de março de 2009

Não sei...

Gostava de conseguir juntar as palavras suficientes para descrever o que sinto. Como me sinto. Gostava de ser capaz de explicar. De entender. Mas não sou, e o pior, o pior é o não entender. Às vezes tenho medo de deixar de ser quem sou. De esquecer-me de sorrir, de me rir de coisas parvas. Tenho medo de me esquecer que a vida é boa e é para ser vivida, na maior parte das vezes a brincar. Tenho medo de ficar demasiado séria. Parece ridículo pensar isto, logo eu… mas eu, este Eu que vos escreve está cada vez mais ausente.

Às vezes dou por mim parada, simplesmente a olhar para o vazio, e penso que não faria mal se eu ficasse assim, dias infinitos a olhar para o vazio. Há vezes é o vazio que me preenche. Às vezes só no vazio me encontro. E eu já não sei de mim… E eu podia-me fazer valer das palavras do Fernando Pessoa e dizer que “o que há em mim é sobretudo cansaço” mas nem sei se chega a ser. Cansaço do quê no fundo? Não há nada de que estar cansada. Não há. Nunca houve. E então poderá ser cansaço isto que sinto? É outra coisa talvez. Que me destrói. Que me apaga. É como se fosse uma lâmpada, que fosse perdendo a potência e por fim fundisse. Estou a perder a luz.

E perguntar-me-iam se é por isto ou por aquilo? Nem sei dizer. É por tudo, é talvez por nada. Não quero ser mal agradecida, já fui tão feliz. Mas o passado é o quê? Nada. E o hoje? Nem sequer existe… de resto, não sei se alguma vez terei futuro. E esta dor, que não sei se é tristeza, se é angústia, se o que é, vai ficando e fazendo de mim quem não sou.

E isto não mais é do que uma quantidade de palavras escritas em itálico sem qualquer significado. Porque as palavras certas, eu não encontro.

4 comentários:

_Purple Wings_ disse...

"Não sei... não sabe ninguém. Porque canto o fado, neste tom magoado de dor e de pranto... E neste momento, todo sofrimento, eu sinto que a alma cá dentro se acalma nos versos que canto..."

Gosto muito desta música e comecei a cantarola-la assim que no meu blog li o título deste teu post! Achei que devia cantar aqui um bocadinho e pronto já está!

O que há em ti, em mim talvez, mas neste caso em ti é sobretudo cansaço, "não disto nem daquilo Nem sequer de tudo ou de nada:
Cansaço assim mesmo, ele mesmo,
Cansaço..."

E porque disse esta frase neste poema numa das minhas peças vou frisa-la aqui muito bem:

"As paixões violentas por coisa nenhuma" - e esta muito me diz respeito....

********* ************ ***********

Ana disse...

A perdida sente-se perdida... :(
Sabes, todos nós temos dessas fases, desses dias ou desses momentos...
Talvez por cansaço, talvez por insatisfação, talvez por tristeza.Não se sabe bem de onde vem, nem como veio, nem quando se vai.

Mas o que interessa é que vai...P que interessa é que basta aparecer qualquer coisinha para preencher esse teu vazio, e tudo desaparece.

Seja o que for que precisas que apareça, espero que o tenhas em breve :)

BeijinhO**

xana disse...

Sem palavras... http://iambelieving.blogspot.com/
***

I'm a Saint! disse...

Pensamento "y"?

O futuro é sempre uma incerteza e todos mudamos. Seremos diferentes. Só temos que nos adaptar e nunca esquecer de onde viemos e o que fomos.